Você sabe quantos tipos de vinho existem?

O mais conhecido e apreciado é sem dúvida o tinto. Além deles podemos encontrar o vinho branco, o rosé, o espumante e os fortificado.
O vinho tinto é feito com uvas tintas onde a cor vem das cascas. As variedades mais conhecidas são Cabernet Sauvignon , Merlot, Shiraz ou Syrah e Malbec.

Os vinhos brancos são mais sutis e delicados. Combinam muito bem com os dias quentes e ensolarados e devem ser servidos mais geladinhos. As variedades de uvas mais conhecidas são as Chardonnay, Sauvignon Blanc e Riesling.

Os rosés são os menos consumidos pelos brasileiros, talvez por falta de hábito. Eles são vinhos muito gastronômicos e versáteis , ou seja, fazem um par perfeito com aperitivos, peixes, frutos do mar, aves e porco.

Os vinhos espumantes são conhecidos como “vinho de festa”. Brindar com uma taça borbulhante é sinônimo de boas comemorações. Atualmente o Brasil é considerado como bom produtor desses vinhos. Os espumantes mais conhecidos são os produzidos em Champagne na França, mas existem outros de muita qualidade feitos em várias regiões importantes. O Cava espanhol e o Prosecco italiano são os mais conhecidos, mas cada região produtora de espumante tem um nome específico para esse tipo de vinho. Mas Champagne mesmo é só o da região de Champagne.

Bottles of rose and white wine in a winery

Os fortificados são vinhos mais alcoólicos e adocicados, no qual  durante o processo de vinificação acrescenta-se álcool vínico para interromper a transformação dos açúcares contidos no suco da uva em álcool. Eles acompanham bem as sobremesas e queijos mais fortes para encerrar as refeições, mas podem ser consumidos a qualquer hora. São ótimos estimulantes de apetite e já foram usados como medicamento. Os mais conhecidos são os do Porto, da Madeira,  Marsala e Moscatel. Existem outros vinhos adocicados de sobremesa,  elaborados a partir das uvas passificadas ou desidratadas onde a concentração dos açúcares é feito de outras formas. O segredo desses vinhos está no equilíbrio entre a doçura e a acidez que o torna muito agradável e nada enjoativo.

Você conhece todos eles? Me conta se tem um preferido!

Raquel Santos_Arquiteta de formação, enófila por paixão. 

Ads